sábado, 24 de setembro de 2016

OLX - procura-se homens de hombridade

Foto do Padre Rômulo - que serviu com zelo e amor seu sacerdócio.



Não, não é um anúncio padrão, nem tão pouco você verá nos classificados On-Line.
Trata-se de um chamariz a fim de atrair a atenção especial de um público extremamente seleto.

O processo de seleção não se dará - somente - por entrevistas, por currículos ou por indicação. E essas premissas citadas anteriormente não são excludentes. São complementares.

Antes mesmo do candidato pensar em se inscrever na vaga, Deus já o escolheu no ventre de sua mãe.
O que para uns é denominado como dom, para outros é considerado como destino.

Sim. Pois até os fios de seus cabelos estão contados. (São Mateus 10, 30-32).


Atribuições necessárias:


1. Batina 
Por vestimenta se usará a batina. Ela é preta (que significa a morte para o mundo), tem 33 botões (a idade de Cristo) e 5 abotoaduras (as chagas de Jesus). 




Em se tratando de “dar testemunho”, que melhor testemunho pode haver do que andar de batina pelos logradouros públicos?


2. Cruz peitoral 
Usada por religiosos que amam a Deus, deve ficar na altura do peito como símbolo de que os sacerdotes guardam a cruz no coração. 

3. Engajamento social

As pessoas irão querer tocá-lo. 
“Em general, quando colocamos um uniforme, ninguém te toca. Exceto quando é o de sacerdote; as pessoas querem tocar o sacerdote. No pulso, em sua maioria. Aconteceu comigo doze vezes, apenas um pequeno contato em meio de uma conversa”.
“Foi estranho, a roupa de padre me exigia fisicamente. Durante o dia inteiro tive que dar abraços, ajoelhar-me para falar com as crianças e inclinar-me para os selfies”.

As pessoas sem lar o buscaram a fim de pedir-lhe ajuda.

“Especialmente as pessoas necessitadas. Durante todo o dia me encontrava com homens e famílias que moravam na rua. Às vezes, me procuravam e seguravam o meu pulso. Duas vezes me pediram uma bênção”.*as citações entre aspas acima, são testemunho de um leigo disfarçado de sacerdote para saber a reação das pessoas. Num mundo tão secularizado, as pessoas sentem a diferença de um padre quando usam a batina.


4. Obediência as regras

Por se tratar de um cargo de tamanha importância, o candidato deverá cumprir com as regras "da casa". Seguir a liturgia de forma zelosa e como sempre foi exercida em sua tradição Católica Apostólica. Não serão aceitos candidatos que ficam de costas para Deus no Sacrário. Candidatos que não acreditam na presença Real de JESUS Sacramentado - agindo de forma incrédula a ponto de não dar a Santa Comunhão ao fiél, na língua e de joelhos.

5. Postura

Dobrar os joelhos diante de DEUS é o mínimo que a criatura pode fazer diante de seu Criador.
Diante do altar o candidato deverá fazer as genuflexões diante do Santíssimo Sacramento para adora-Lo.
Ter consigo a oração e a devoção ao Santo Terço.
Amar a Santa Mãe de DEUS a ponto de defende-la dos ataques do inimigo e dos falsos cristãos que só falam em JESUS sem mencionar a Maria como Santa Mãe de DEUS. 
Maria - a criatura mais bela que Deus a escolheu para ser Sua Mãe.
Acatar as decisões e orientações do papa Pedro II.
Desmascarar as artimanhas do inimigo e do falso papa que ocupa a cadeira do vigário de Cristo em Roma.
Proclamar o Santo Evangelho sem deturpações ou contaminado com teologias da libertação e coisas do gênero.

6. Salário

O candidato após preencher as atribuições acima, terá três salários. 
O 1º: para custeio de suas necessidades pessoais de forma humilde.
O 2º: um tesouro que não terá fim: a salvação das almas de seu rebanho.
O 3º: o maior de todos - a vida eterna. Dada somente por DEUS. Pelo belo trabalho prestado a DEUS e aos fiéis.


Os interessados deverão encaminhar seu currículo ou se dirigir pessoalmente para Igreja da Obediência a DEUS PAI.
Endereço: Alameda das Araucárias, 225 - Taquaras, Balneário Camboriú - SC, 88338-065



Fontes consultadas: 

http://www.acidigital.com/noticias/5-coisas-que-descobriu-um-leigo-disfarcado-de-sacerdote-catolico-86729/
http://ipco.org.br/ipco/50-anos-depois-padres-jovens-retomam-a-batina-que-padres-velhos-jogaram-fora-para-dar-impressao-de-jovens/#.V-aKQ_ArLIU
http://super.abril.com.br/historia/o-que-significam-os-trajes-da-igreja-catolica

domingo, 11 de setembro de 2016

O que estariam planejando para o ano de 2017 ? - filme Oblivion

"...(*.*)..."

       Assistindo ao filme OBLIVION (lançado em 2013) na noite de ontem, me deparei com uma cena, no mínimo, intrigante!


Imagem do filme, onde aparece um Drone derrubado e caído no chão. Então Jack Harper desce para reparar o Drone que tem o número 166 = 1 + 6 + 6 = 13 o número do material , é o número ligado à terra , à económica e representativo a morte. Na verdade , vemos que o Drone 166 mata tudo que se move em seu caminho. 

Na missão de 13 enviaram a bomba atômica de Hiroshima, ou os 13 graus do rito Maçónico Templar , 13 de março foi eleito Papa Francisco.

Jack Harper é identificado como técnico (de Drones) nº 49 que curiosamente também nos dá em sua soma, o resultado 13.


Filme : A história começa em 14 de março de 2077 , onde Jack Harper ( Tom Cruise) é um especialista em reparação de DRONES , que servem para monitorar o que acontece em todos os cantos do planeta. Nada acontece sem os drones saberem e eles estão programados para matar qualquer ser humano ou animal. Menos a equipe de manutenção.





Em um mundo futurista e pós apocalíptico (Hollywood ADORA fazer filmes com esse contexto) o personagem vivido por TOM CRUISE chega na frente de um antigo estádio todo em ruínas.

É curioso que em meio às ruínas, há uma parede que restou de pé e nela uma frase bastante visível (como se fosse uma placa, um memorial) fazendo referência ao ano de 2017:


A frase no muro diz:

"Campeões do Mundo de 2017"

Então vem o comentário do personagem de TOM, preste bem atenção ao que ele diz:

"Eu li sobre um jogo de futebol que foi jogado aqui, o último super bowl! Um verdadeiro clássico..."


Na frase ele dá a entender (em clima de saudosismo) que depois de 2017 não houve mais jogos de futebol. Nos faz pensar que houve algo muito marcante em 2017... e que esse evento mudou o rumo da humanidade para sempre.

Em outra frase do filme diz:



"Vencemos a guerra, mas perdemos o planeta.
A humanidade teve que abandonar a terra.
Tivemos que esquecer o que significava
chamar algo de nosso lar."

Fiquei alerta pois lembrei de alguns filmes e desenhos que fizeram alusões ao "atentado" nas Torres Gêmeas em 11/09/2001... fizeram alusão à essa data mesmo muito tempo antes de ocorrer.

Veja alguns exemplos:

****Atenção na data de vencimento do passaporte de NEO no filme Matrix: Ano 1999





**** Episódio dos SIMPSONS, de 1997







**** Exterminador do Futuro II, de 1991 - Na ponte está escrito: "cuidado 11/09"
Logo que eles passam, o caminhão explode bem em cima de onde estava escrito.




**** Cartas do jogo de RPG INWO, criadas em 1995:
Ataque terrorista, mostra 2 prédios "muito parecidos" com as torres gêmeas.
A outra carta chama-se Pentágono, e dispensa maiores explicações.





Saindo da ficção para fatos reais, o ano de 2017 terá alguns eventos bastante interessantes:



1 - O Papa Francisco, atual Papa eleito, disse em 2014 que ficaria no máximo mais 3 anos (até 2017) e depois renunciaria por motivos de saúde, resultando assim na eleição de um próximo Papa.




2 - Ocorrerá eleições para o 45º presidente dos EUA.

3 - Rede de TV americana NBC prevê implantação de CHIP nos americanos com meta de efetivação até 2017:






Quero deixar claro que nossa intenção aqui não é prever o fim do mundo, nem tentar adivinhar sobre o Anticristo... nem muito menos tentar calcular data de quando será a volta de Jesus.

Nossa intenção é examinar alguns fatos, alertar as pessoas à buscarem à Deus, a pedirem perdão pelos seus pecados e viverem de acordo com a Sua Palavra, pois se não sabemos exatamente quando Jesus irá voltar... podemos ver que os sinais de Sua vinda estão por todos os lados.

OBS: Ninguém está afirmando que acontecerá o fim do mundo no ano 2017. Estamos apenas mostrando algumas coisas curiosas que coincidem com acontecimentos mundiais. Pode acontecer algo assim como não!

Paz,

Por Leonardo Souza
O CORREIO DE DEUS

***************************************************************************

sábado, 27 de agosto de 2016

A igreja de Francisco e o novo programa sexual do Vaticano



Hoje leio que o LifeSite News e o American Life League fizeram uma petição ao Papa Francisco contra o Programa de Educação Sexual do Vaticano. A petição chama o Programa Sexual do Vaticano de pesadelo, pois abandona Cristo e os pais das crianças, em favor do politicamente correto que favorece os homossexuais e até da pornografia, por não condenar nada (masturbação, fornicação, etc.)

Leio também hoje que uma pesquisa feita com 200 trabalhos científicos sobre sexo, concluiu a criança NÃO nasce transgênera, nem gay e que pensar o contrário leva a problemas mentais!!!

Além disso, leio que os pediatras estão alertando que o programa de gênero que favorece transgênero e gays é abuso contra as crianças e leva ao ao enorme aumento de suicídios.
Bom, se a Igreja não ouve nem Cristo, nem os católicos, por que ouviria a ciência e a medicina?

A Igreja está indo contra Cristo e também contra a ciência. Mais errado impossível!

Confira clicando na petição do LifeSite News e do American Life League:
fonte: http://thyselfolord.blogspot.com.br/


Qual o conteúdo do programa?


*********************************************************************

ANÁLISE


ROMA 27 de julho de 2016 (LSN) — “Mais almas vão para o inferno por causa dos pecados da carne, do que por qualquer outra razão”, Nossa Senhora de Fátima advertiu os três jovens videntes em 1917. Mas esta mensagem, desgraçadamente, está inteiramente ausente do programa de educação sexual recentemente lançado pelo Vaticano para os adolescentes. Em vez disso, os pecados sexuais absolutamente não são mencionados. O sexto e o nono mandamentos são ignorados, enquanto imagens e vídeos imorais sexualmente explícitos são usados como trampolim para a discussão.

O programa intitulado “O Ponto de Encontro: Curso de Educação Sexual Afetiva para Jovens” foi lançado na semana passada pelo Conselho Pontifício para a Família e será apresentado esta semana aos jovens na JMJ, na Polónia.

Enquanto o programa esteve em desenvolvimento por casais casados na Espanha durante vários anos, parece ter recebido um impulso para que fosse concluído em abril para a exortação ‘Amoris Laetitia’ do Papa Francisco sobre casamento e família. Na exortação, o Papa fala da “necessidade de educação sexual” que deve ser dirigida por “instituições de ensino”, um movimento que alarmou os líderes globais de vida e família, uma vez que a Igreja Católica sempre reconheceu e ensinou — muitas vezes enfrentando a oposição de potências mundiais — que a educação sexual é “direito e dever fundamental dos pais”.

O programa de educação sexual do Vaticano é dividido em seis unidades a serem ensinadas ao longo de um período de quatro anos (graus 9-12) para estudantes do sexo feminino em classes mistas masculino e feminino.

Veja todas as lições e guias para professores no website do programa aqui.

O novo programa a ser apresentado pelo Conselho Pontifício para a Família parece ser um desvio do que o Magistério da Igreja há muito tempo tem ensinado sobre a educação sexual. Por exemplo:

O Papa Pio XI
, em sua encíclica de 1929 sobre a educação cristã, Divini Illius Magistri, fala sobre a instrução sexual em um ambiente privado pelos pais, e não em salas de aula, afirmando que, se “alguma instrução privada é considerada necessária e oportuna, daqueles que possuem de Deus a missão de ensinar e ter a graça de estado, todas as precauções devem ser tomadas. Tais precauções são bem conhecidas na educação cristã tradicional… 

Portanto, é de extrema importância que um bom pai, ao discutir com seu filho um assunto delicado, deve estar bem em guarda para não descer aos detalhes”. Ele acrescenta: “No geral, durante o período da infância, é suficiente empregar aqueles remédios que produzem o duplo efeito de abrir a porta para a virtude da pureza e fechar a porta ao vício”.

O Papa Pio XII, em seu discurso em 1951 para os pais de família, adverte contra a propaganda, mesmo por parte de “fontes católicas”, que “exageram de maneira desproporcional a importância e o significado do elemento sexual. … Sua maneira de explicar a vida sexual é tal que se adquire na mente e na consciência do leitor médio a ideia e o valor de um fim em si mesmo, fazendo-o perder de vista o verdadeiro propósito primordial do matrimônio, que é a procriação e educação dos filhos, e o grave dever dos casais em relação a este propósito, algo que a literatura da qual estamos falando deixa muito em segundo plano”.

O Papa S. João Paulo II na sua exortação apostólica de 1981 Familiaris consortio, chama a educação sexual um “direito e dever fundamental dos pais”, que “deve ser sempre realizada sob a sua solícita direção, quer em casa ou no centros educativos escolhidos e controlados por eles”. Ele acrescenta: “os pais cristãos, discernindo os sinais da vontade de Deus, deverão dedicar especial atenção e cuidado de educar para a virgindade ou a castidade como forma suprema de doação de si mesmo que constitui o próprio sentido da sexualidade humana”.
A Sagrada Congregação para a Educação Católica, nas suas Orientações educativas sobre o amor humano de 1983, escreve que “a verdade permanece sempre válida que, em relação aos aspectos mais íntimos [educação sexual], seja biológica ou afetiva, uma educação individual deve ser concedida, de preferência dentro da esfera da família”.

Enquanto o novo programa do Vaticano tem algumas qualidades positivas, seus defeitos são em número e grau muito maiores e não podem ser subestimados. Estes incluem:

# Entregar a educação sexual dos filhos para os educadores, deixando os pais fora da equação.
# A falta de citar e condenar comportamentos sexuais, tais como a fornicação, a prostituição, o adultério, o sexo com a contracepção, a atividade homossexual e a masturbação, como ações objetivamente pecaminosas que destroem a caridade no coração, distanciando-nos de Deus.
# Deixar de alertar os jovens sobre a possibilidade da separação eterna de Deus (condenação) por cometer pecados sexuais graves. O inferno não é mencionado sequer uma vez.
# Não fazer distinção entre pecado mortal e pecado venial.
# Não mencionar o sexto e o nono mandamentos, ou qualquer outro mandamento.
# Deixar de ensinar sobre o sacramento da confissão como uma maneira de restaurar o relacionamento com Deus depois de haver cometido pecado grave.
# Não mencionar um saudável senso de vergonha quando se trata do corpo e da sexualidade.
Ensinar meninos e meninas juntos, na mesma classe.
Ter meninos e meninas juntos na classe compartilhando a sua compreensão de frases como: “O que a palavra sexo sugere a você?”
Pedir a uma classe mista para “apontar onde está localizada a sexualidade nos meninos e nas meninas.”
Falar sobre o “processo de excitação.”
O uso de imagens sexualmente explícitas e sugestivas em livros de trabalho (aqui,aqui e aqui).
A recomendação de vários filmes sexualmente explícitos como um trampolim para a discussão (veja abaixo os links).
Deixar de falar sobre o aborto como algo gravemente errado, mas apenas que causa “fortes danos psicológicos”.
Confundir os jovens com o uso de frases como “relação sexual” para indicar não o ato sexual, mas uma relação centrada na pessoa.
Falar de “heterossexualidade” como algo por “descobrir”.
Usar o ícone gay Elton John (sem mencionar o seu ativismo) como um exemplo de uma pessoa talentosa e famosa.
# Respaldar o paradigma de “namoro” como um passo para o matrimônio.
# Não enfatizar o celibato como forma suprema de doação de si mesmo que constitui o sentido da sexualidade humana.
# Não mencionar o ensino de Cristo sobre o casamento.
Tratar a sexualidade como um assunto separado e não como algo integrado nos ensinamentos doutrinários e morais da Igreja.

Ver slideshow: O que há de novo no programa de educação sexual do Vaticano(ATENÇÃO: imagens sexualmente explícitas)?.



Um defensor “pró-família” contra a versão explícita da educação sexual sobre Planned Parenthood (Paternidade Planejada) fez este comentário, sob condição de anonimato, referindo-se ao programa de educação sexual do Vaticano: “Foi muito difícil decidir se os autores estavam tentando dissimular habilmente um programa ruim ou se foram apenas completamente incompetentes. Eles tentaram entrelaçar filmes modernos para apoiar os conceitos vagos que estavam tentando transmitir, mas, a forma como fizeram isso não foi muito eficaz. Por que as imagens eróticas que beiram a pornografia? Achei a coisa toda muito confusa para os jovens e, francamente, um enorme desperdício de tempo.”

Devido à incapacidade do programa para honrar o papel dado por Deus aos pais como os principais educadores, a sua absoluta incapacidade para nomear e condenar vários pecados sexuais, e seu uso de materiais sexualmente explícitos e filmes, o programa não só é incapaz de atingir o seu objetivo, mas, sem dúvida, poderia ter o efeito oposto de despertar nos jovens o desejo sexual desordenado e impeli-los a realizar fantasias sexuais. 

O programa tenta instruir os jovens sobre a importância da modéstia,  da castidade e da intimidade, 
e o faz violando os mesmos valores que está 
tentando incutir. 
Desta maneira, é contraproducente. 

Em suma, o programa poderia levar os jovens não mais para perto de Deus, mas para longe Dele.

Poder-se-ia ir tão longe como a conjeturar que Santa Maria Goretti, caso fosse formada pelo programa de educação sexual do Vaticano, é improvável que ela tivesse alguma palavra heroica de virtude para dizer ao seu agressor sexual. Ela não teria sido formada para dizer: “Não! É um pecado! Deus não quer isso!” Ela não teria aprendido que o que seu agressor queria era uma ofensa contra Deus, e, no mesmo sentido, nem teria S. Domingos Sávio sido capaz de dizer: “A Morte em vez do pecado!”, porque eles nada teriam aprendido sobre o horror do pecado. 

Um programa de moralidade sexual que não consegue
 ensinar os jovens a viver o Evangelho sem compromissos  é indigno de ser ensinado.



Pete Baklinski tem um bacharelado em Artes Liberais e um mestrado em Teologia, com especialização em Matrimônio e Família (STM). Ele é casado com Erin. Juntos, eles têm seis filhos.

fonte: http://www.sensusfidei.com.br/2016/08/01/na-jmj-o-vaticano-lanca-programa-de-educacao-sexual-que-exclui-os-pais-e-pecado-mortal/#.V8Ip2JgrLIV

domingo, 7 de agosto de 2016

Já que o papa Francisco não entende: vamos desenhar.

"ESTADO ISLÂMICO RESPONDE AO PAPA: NOSSA RELIGIÃO É DA GUERRA E NÓS TE ODIAMOS"





(Tradução revisada 5/08/16) Por Thomas D. Williams, Ph.D – Tradução Renato Aquino/ FidesPress – O grupo terrorista Estado Islâmico saiu publicamente para responder as declarações do Papa Francisco que a guerra travada por terroristas islâmicos não é de natureza religiosa.

Na mais recente edição da Dabiq (revista que contém a propaganda oficial do Estado Islâmico), o grupo terrorista critica Francisco por sua ingenuidade e apego à falsa convicção de que os muçulmanos desejam paz e convivência pacífica.

No artigo “By the Sword. (Pela Espada)”, os autores afirmam enfaticamente que “Esta é uma guerra divinamente garantida entre a nação muçulmana e as nações dos infiéis”e negam repetidas vezes que “os atos de terror islâmicos são motivados com finalidades econômicas”, como sugeriu o pontífice em uma entrevista.

Mirando a exegese de Francisco, o ISIS declara que as palavras do Papa argentino de que um “autêntico Islã e uma leitura adequada do Alcorão se opõem a todas as formas de violência” na verdade constituem uma armadilha. “Francisco continua a esconder-se atrás de um véu enganador de ‘boa vontade’, escondendo suas reais intenções de pacificar a nação muçulmana “, declara o inflamado artigo.

O Estado Islâmico concluí que Francisco “tem lutado contra a realidade” em seus esforços para retratar o Islã como uma religião de paz.  As conclusões do artigo são acompanhadas pelo insistente convite do Estado Islâmico para que todos os muçulmanos peguem a espada da jihad, a “maior obrigação de um verdadeiro muçulmano”, contra os infiéis.

Retratando o Sumo Pontífice como um novo cruzado contra a nação islâmica, o artigo lamenta que apesar da natureza obviamente religiosa de seus ataques, “muitas pessoas nos países do cruzado (países ocidentais) expressam choque e até mesmo repugnância pelo fato da liderança do Estado Islâmico ‘usar a religião para justificar a violência… 

De fato, jihad – espalhando a regra de Deus pela espada – é uma obrigação encontrada no Alcorão que é a palavra de nosso Senhor”.”Derramar o sangue dos descrentes é uma obrigação comum. O comando é claro: Matar os descrentes, como disse Allah, ‘Então matar os idólatras onde quer que você encontre-los. “, relembra o artigo.

O Estado Islâmico também reagiu à descrição do Papa Francisco de recentes atos de terror islâmico como “violência sem sentido”, insistindo que não há nada de absurdo nisso. “A essência da questão é que há uma poesia para o nosso terrorismo, guerra, crueldade e brutalidade”, eles declaram, acrescentando que o seu ódio para o Ocidente cristão é absoluta e implacável.

Na conclusão do artigo, o ISIS deixa claro que esta é uma questão que não poderá ser resolvida com politica: “O fato é que mesmo que vocês (nações ocidentais) não nos bombardeasse, aprisionasse, torturasse, difamasse e não usurpasse nossas terras, nós (muçulmanos) temos que continuar a odiar vocês. 

Nossa principal razão para vos odiar não deixará de existir até que vocês abracem o Islã. Mesmo que vocês sejam submetidos a pagar jizyah [imposto para infiéis] e viver sob a autoridade do Islã na humilhação, gostaríamos de continuar a odiá-los.

Em uma recente conferência de imprensa no avião de volta da Polônia, o Santo Padre disse aos jornalistas que o mundo está em guerra. “Mas é uma guerra real, não uma guerra religiosa”, disse o pontífice.

Fonte.: http://fidespress.com/mundo/estado-islamico-responde-ao-papa-nossa-religiao-e-da-guerra-e-nos-te-odiamos/


************************** / / ************************


ISIS transmite ao mundo por que ele mata.

Front Page Magazine, por Joseph Klein, 03 de agosto de 2016:

ISIS está tomando ofenderam com os críticos que desafiam sua pretensão de representar o verdadeiro Islã. 

Na última edição de sua revista Dabiq , publicado em 31 de julho, o autor de um editorial intitulado "Why We Hate You e Why We Fight You" repudiou "o Islã é um religião pacífica multidão." 



Essa multidão incluiria Presidente Obama, Hillary Clinton, o Papa Francis e outros líderes mundiais, políticos e formadores de opinião que têm empurrado a narrativa que ISIS é um culto desviante composta por extremistas violentos cujos atos de terrorismo não tem nada a ver com o Islã. 

Ao contrário, afirmou o autor da peça Dabiq, "jihad e as leis da Sharia - bem como tudo o mais tabu considerado pelo-Islam, é uma pacífica-religião multidão - na verdade são completamente islâmico".

O autor começou a citar o Corão para apoiar o seu caso: "E não se engane, pois" em verdade os descrentes são um inimigo claro para você '[Alcorão 4: 101]

ISIS não é a única tecnologia esclarecido. Ele é o marketing savvy, trabalhando duro para preservar a sua marca do verdadeiro Islã daqueles infiéis e apóstatas " 'imãs" no Ocidente "que se atrevem a desafiá-la.


fonte: https://translate.google.com.br/translate?sl=en&tl=pt&js=y&prev=_t&hl=pt-BR&ie=UTF-8&u=https%3A%2F%2Fcounterjihadreport.com%2Ftag%2Fdabiq-15%2F&edit-text=&act=url


domingo, 24 de julho de 2016

Porque a Europa não quis escutar? Monsenhor Marcel Lefebvre - França - 1989


------------------------------------------------------------------------------------------------




A capa de uma revista polonesa com a chamada ‘O estupro islâmico da Europa’ provocou um intenso debate no país sobre a crise migratória no continente. A foto de uma mulher branca enrolada na bandeira da União Europeia sendo atacada por braços de pele escura, em referência aos refugiados islâmicos

Na edição desta semana da conservadora revista wSieci (Na Rede, em português), a publicação promete “uma reportagem sobre o que a imprensa e a elite de Bruxelas estão escondendo dos cidadãos da União Europeia” – a reportagem principal é sobre os estupros e ataques sexuais sofridos por centenas de mulheres na cidade de Colônia, na Alemanha, durante o último réveillon. A maioria dos homens presos na operação que investiga o caso é formada por imigrantes recém-chegados do norte da África.

As cerca de 1.000 denúncias das vítimas no Ano Novo em Colônia, que provocaram uma reação contrária à política alemã de abertura a refugiados, encorajaram mulheres de outros países europeus a também relatar ataques sexuais semelhantes.

“Após os acontecimentos do Ano Novo em Colônia, a população da velha Europa dolorosamente percebeu os problemas decorrentes do fluxo maciço de imigrantes”, escreveu a autora da matéria, Aleksandra Rybinska. “Os primeiros sinais de que as coisas estavam indo mal, no entanto, apareceram bem antes. Eles foram ignorados ou minimizados em importância em nome da tolerância e do politicamente correto.”


*****************************************************************



******************************************************************




*******************************************************************

A resposta:



____________________________________________________________________

A negação do cristianismo como a fundação da Europa


Vive-se hoje um acelerado processo de secularização das sociedades ocidentais. Esta secularização, seja consequência do processo histórico europeu que levou à separação entre igreja e estado, seja consequência do ódio ao cristianismo oriundo do marxismo cultural, que leva consequentemente ao ateísmo moderno.


Mas o secularismo de hoje é diferente. A cultura secular da Europa de hoje é primordialmente anti-cristã. Mas, apesar da Europa ser agressiva contra os princípios cristãos, ela tolera a cultura islâmica ortodoxa. Com isso, a Europa rejeita as suas próprias raízes, e destrói os seus próprios alicerces, sem os quais ela não tem como se defender contra um inimigo que não sofre crise de identidade, que é assertivo, que não é prejudicado por culpa cultural ou vive se questionando, e que não hesita em afirmar a sua superioridade religiosa.


Um exemplo claro é o da BBC, de Londres, que, conforme recentemente declarado por seu director, Mark Thompson, jamais zombaria de Maomé ou do islamismo como zomba de Jesus e do cristianismo [23].


fonte: Lei Islâmicaem Ação.

-------------------------------------

Leia também: 

Multiculturismo: uma agenda perigosa que tardiamente está sendo percebida.


domingo, 3 de julho de 2016

In Memoriam - Carta resposta do servo de DEUS: Padre Rômulo Cândido de Souza

Hoje dia 03/07/2016, Deus nosso Pai, chamou seu servo de DEUS - padre Rômulo Cândido de Souza, que veio a falecer.

Em memória a este valoroso padre que sempre realizava a Santa Missa de forma zelosa, respeitando JESUS Sacramentando, dando a comunhão aos fiéis sempre na língua e de joelhos, deixo aqui sua carta de 2002 em defesa das Santas Mensagens recebidas pelo nosso profeta Pedro II, que estão contidas no grande livro: A Palavra Viva de DEUS - http://www.apalavravivadedeus.com.br/

Ora pro nobis Padre Rômulo - na Paz de Cristo e no Amor de Maria.

Aos que não o conheceram, deixo aqui um vídeo de uma de suas inúmeras homilías em defesa da fé Católica - na Igreja da Obediência a DEUS PAI - Taquaras - Balneário Camboriú - SC.




------------ / / ----------




Carta Resposta do Pe. Rômulo Cândido de Souza, de Aparecida SP, para o Cardeal Aloísio  Lorscheider, Arcebispo de Aparecida - SP , sobre a nota de orientação, dirigida aos fieis, esclarecendo a respeito do confidente Bento da Conceição, residente na paróquia de Camboriú, Arquidiocese de Florianópolis-­SC, que o Cardeal publicou na sua Arquidiocese de Aparecida.

PASTORAIS E PASTORAIS

                  Sr. Cardeal Dom Aloísio Lorscheider,
Lemos com atenção e interesse sua “Nota de Orientação” (Aparecida, 17 de Julho de 2002). Aí são feitos comentários aos videntes em geral, e ao sr. Bento da Conceição, de modo especial. Gostaria de apresentar aqui algumas considerações:
1. - Estamos plenamente de acordo com os princípios gerais de prudência em casos de revelações particulares. Não se pode levianamente aceitar tudo, sem análise e sem critério.
2. - É preciso examinar o tipo da pessoa que transmite as mensagens. Se é um desequilibrado, histérico, doente mental. Se possui virtude sólida. Se as mensagens estão de acordo com a fé e os bons costumes. E também os efeitos que elas produzem nas pessoas.
- Todas essas considerações são legítimas e conhecidas como critérios de análise. 
No caso específico do sr. Bento da Conceição, devo declarar a seu favor o seguinte:
* Eu conheço pessoalmente o sr. Bento e toda a sua família: mulher, nove filhos e netos. * Nunca percebi nenhum traço de fraude, desequilíbrio e exibicionismo. * Todos eles são gente simples, humilde, entregues à oração. Revezam-se durante o dia em vigília de oração e adoração, desde as 6:oo h da manhã até às 21:oo h. * Todos os membros da família participam da vigília. * Tenho comigo os 17 volumes das mensagens do sr. Bento, atribuídas a Jesus, Nossa Senhora e santos. * Nunca tropecei com algum erro teológico ou de moral duvidosa. * A tônica é sempre a mesma: oração, conversão, prática das boas obras, participação na missa, confissão comunhão, obediência ao Papa, caridade fraterna * auxílio aos pobres.
5. - Pelo que me consta, até agora ninguém se preocupou em fazer uma análise em profundidade dos textos e mensagens dos 17 volumes, sob o ponto de vista teológico e moral. O que se vê são apenas escaramuças e um certo mal-estar com relação a algumas práticas litúrgicas (*comunhão com véu para as mulheres * comunhão de joelhos e na boca * comunhão pelas mãos dos sacerdotes.
- Quanto a essas práticas litúrgicas, quero lembrar que estão plenamente de acordo com as normas oficiais da Igreja: Normas do Papa João Paulo II, Conferência dos Bispos do Brasil, e Sínodo dos Bispos, assinado pelo Papa.
7.  - Cito agora explicitamente esses documentos:      
* “Jamais se obrigará algum fiel a adotar a prática da comunhão na mão. Deixar-se-á a liberdade de receber a comunhão na mão ou na boca.” (Igreja do Brasil - Diretório Litúrgico, 1999. - Conferência dos Bispos do Brasil - Ano A - pág. 272-273)
* “Para que o ministro extraordinário, durante a celebração eucarística, possa distribuir a comunhão, é necessário, ou que não estejam presentes ministros ordinários, ou que estes, embora estejam presentes, estejam realmente impedidos.
Pode igualmente desempenhar o mesmo encargo quando, por causa da participação numerosa dos fiéis que desejam receber a comunhão, a celebração eucarística prolongar-se-ia excessivamente, por causa da insuficiência de ministros ordinários.
Esse cargo é supletivo e extraordinário.
Devem-se evitar e remover algumas práticas que há algum tempo foram introduzidas em algumas igrejas particulares, como por exemplo:
- comungar pelas próprias mãos, como se fossem celebrantes.
          - o uso habitual de ministros extraordinários nas Santas Missas, estendendo arbitrariamente o conceito de “numerosa participação.”
(Instrução sobre a colaboração dos fiéis leigos no sagrado ministério dos sacerdotes. - Sínodo dos Bispos - Artigo 8. - Documento aprovado e assinado pelo Sumo Pontífice João Paulo II, ordenando a sua promulgação. - Vaticano, 15 de Agosto de 1997.)
Sr.Cardeal,
* Numa concelebração com 50 padres presentes, por que eles não descem para distribuir a comunhão, segundo as Normas da Igreja? Quem é que está desobedecendo e inventando novas Pastorais? É o sr. Bento? Onde fica a Instrução dada pelo Sínodo dos Bispos, e assinada pela Papa? 
* Em missas nas pequenas comunidades,  com pouca participação de fiéis, às vezes uns 30, por que os ministros extraordinários?
O sr. Bento está seguindo as normas do Papa, dos Bispos do Brasil e Instruções oficiais do Vaticano. Ele é acusado de “usar seus argumentos e atitudes em nome de Jesus.” Certamente, usa o nome de Jesus, mas também segue o pensamento do Papa, do Sínodo dos Bispos e da CNBB.
8. - Gostaria agora de fazer um reparo quanto à falta de lógica na prática da Pastoral. Há coisas bem mais sérias e escandalosas, que não recebem crítica nenhuma:
* Padres que celebram Missa de bermuda e em manga de camisa. Ninguém reclama.
* Fiéis que também comungam de bermuda, e mulheres bastante decotadas. - Ninguém reclama. O véu que algumas usam na comunhão incomoda e atrapalha a Pastoral. O decote e a bermuda não atrapalham nem incomodam.
Sabemos que o véu é um uso cristão, que vem desde o Apóstolo São Paulo. Tem dois mil anos de uso. Mas agora está atrapalhando e incomodando, não se sabe por quê.
* Avisos e cartazes na igreja, fazem propaganda de “camisinha”. - Ninguém reclama. É um cartaz bastante pastoral!!!
9. - E temos outras coisas bastante sérias, no Brasil:
* Aconteceu na Bahia, na Reunião das CEBs, com a presença de milhares de participantes de todas as diocese do Brasil, inclusive   70 bispos.
Aí uma mãe de santo invoca os Orixás, deuses do Candomblé, sobre a assembléia. A mãe de santo foi aplaudida por toda a assembléia. - Chamaram a isso de Macroecumenismo! (X Encontro Intereclesial Latino-Americano, em Ilhéus. - 22.10.2000  - Ver: Revista “Espaços” - Itesp - 2000 8/2). 
* Nessa mesma assembléia rezou-se um “Pai nosso ecumênico” : “Em nome do Pai de todos os povos, / Maíra, mãe de tudo, excelso Tupã (divindade indígena)”.....
Essas inovações não causam confusão, nem escandalizam.    Macroecumenismo!
* Nesse mesmo encontro foram proclamadas novas Bem-aventuranças:  “Bem-aventuradas as pessoas que vêem na diversidade uma riqueza, como a beleza do arco-íris.” “Bemaventuradas as pessoas que cultivam as qualidades necessárias para a vivência ecumênica, e não fazem do seu rito a exclusividade da liturgia.”
A diversidade é uma riqueza, mas vale só para os de fora. Por quê? 
* Na presença de 70 Bispos, “foram clamados todos os elementos da natureza, e foram invocadas TODOS OS NOMES DAS DIVINDADES DAS VÁRIAS RELIGIÕES PRESENTES, especialmente indígenas, cristãs e africanas.”
Invoca-se a Mãe Maíra, misturada ao Pai Nosso. Invocam-se as divindades pagãs. Isso é Pastoral e macroecumenismo. Não escandaliza, não provoca confusão, não atrapalha a Pastoral!
******************
10. -  Com respeito às Mensagens proféticas sobre o futuro e o Papa,
acho que precisamos ser mais humildes. Ninguém é juiz do futuro. Até hoje nenhum juiz teve a coragem de emitir parecer sobre coisas que podem acontecer. Vamos esperar acontecer para julgar.
11. -  É bom lembrar que as Mensagens não são exclusividade do sr. Bento. Elas vêm do mundo inteiro. São centenas, de todos os países. Estão na boca de crianças e de adultos, de todas as condições sociais e de todos os níveis culturais.  E todos transmitem sempre a mesma mensagem básica: oração e conversão, além das conhecidas profecias sobre o Papa. É muita coragem dizer que tudo isso é fraude, histeria, exibicionismo.
12. - Quanto à divulgação dessas mensagens em livros e folhetos, o Código  de direito Canônico é bem claro. “Se esses escritos não têm aprovação eclesiástica, não podem ser distribuídos em igrejas e oratórios.” (Canon 827, 4).  Igrejas e oratórios. Isto significa que podem ser distribuídos fora das igrejas e oratórios, de mão em mão. Se o Código de Direito Canônico já previu essa situação, por que criar obstáculos à margem do Direito?
13. - Com relação à autenticidade das Mensagens, lembro o pensamento de Karl Rahner, teólogo do Concílio, elogiado por Paulo VI. Rahner fala:
* “Deus não está obrigado a falar sempre através da Hierarquia. O Espírito de Deus pode dirigir-se a qualquer membro da Igreja para agir nela.”
* “Sempre existiu na Igreja, junto com o poder oficial, transmitido pela imposição das mãos, a vocação do Profeta, humanamente intransmissível. Nenhum dos dois carismas pode substituir o outro.”
“E se Deus fala, será que existe algo de insignificante nessa Mensagem? Será que a Palavra de Deus é supérflua?”
“Por que o cristão não pode aceitar o auxílio de luzes diferentes dos princípios expressos na Teologia?”
* “Muitas vezes nós chamamos a essas luzes, com um certo desdém, de `revelações privadas`. E as consideramos um luxo típico de certas almas piedosas.”
* “A Teologia tradicional ensina que a função da Igreja é apenas examinar se essas revelações são conciliáveis com o Depósito da fé revelada. Se existe concordância, a Igreja as entrega à liberdade dos fiéis, que podem aceitá-las com uma fé humana.”
* “Mas essa posição teológica é por demais negativa e incompleta. É preciso acrescentar: Se uma revelação privada tem fundamentos suficientes e razoáveis de autenticidade, implica necessariamente o direito e o dever de dar o seu assentimento com fé divina.”
* “Tanto o destinatário direto das Mensagens, como outros fiéis que tomam conhecimento delas, estão obrigados em consciência, com fé divina, a dar a sua adesão, se acharem que os fundamentos são suficientes.” (Karl Rahner, SJ, Insbruck - Tirol - em “Revue d´Ascetique et de Mystique” - n 98-100, Abril - Dezembro de 1949, pgs. 506-514).
         Sr. Cardeal, são estas as reflexões de um dos maiores teólogos do século 20, e um dos mentores do Concílio Vaticano II. Neste final de século, as revelações particulares têm-se multiplicado em todos os recantos do mundo. Não podemos tratá-las com desprezo, na expressão de Rahner. Elas podem ter fundamento suficiente de autenticidade. Nesse caso, diz ele, é preciso dar o assentimento com fé divina. Ou, pelo menos, é necessário respeitar a posição daqueles cristãos que aderem às Mensagens, porque sua consciência o exige.
Existe um documento do Vaticano II sobre a “Liberdade de consciência”. Será que isso vale só para os de fora, e não para os cristãos e católicos?
É claro que precisamos ser prudentes: “Prudentes como serpentes” e não aceitar ingenuamente qualquer coisa. Analisar, desconfiando. Confiar, analisando. Mas acho também que precisamos desconfiar de nossa incapacidade de perceber a palavra de Deus na boca dos humildes. Na História da Igreja o profetismo e as mensagens quase nunca aparecem para  doutores e teólogos, mas para gente simples: As crianças de Fátima eram analfabetas, Bernadete de Lourdes era analfabeta, João Diego de Guadalupe era um índio analfabeto, Joana d´Arc era analfabeta.
Sr. Cardeal, não seria bom desconfiar um pouco de nossa ciência teológica? Não estamos repetindo a história dos fariseus, que rejeitaram e mataram os profetas?
Uma questão que proponho novamente, e parece esquecida pela Pastoral:
Existe Ecumenismo SÓ PARA OS DE FORA ? Não existe Ecumenismo PARA OS DE DENTRO. Por quê?
A mãe de santo que invoca os Orixás sobre a assembléia é aplaudida por 70 bispos. Um cristão que comunga de joelhos, na boca, é um “desorientador das pastorais,” “atrapalha a caminhada da Igreja” “impõe normas contrárias às existentes.”  Por  que a diferença? (Os documentos citados acima mostram que não é o Sr. Bento que está impondo essas normas. É o Papa, o Sínodo dos Bispos e documentos oficiais da Igreja, assinados e datados.)
***********************
Sr. Cardeal, peço que não me leve a mal ter feito essa considerações. Vivemos num tempo cheio de idéias novas e iniciativas corajosas. Admiro o seu zelo pastoral e a sua humildade. Por isso me atrevi a expor com sinceridade meu ponto de vista. O objetivo desta carta não é fazer contestação, mas ajudar a refletir sobre os rumos da Pastoral.
Em nome da liberdade de consciência, do ecumenismo e do pluralismo, acho que deve haver mais espaço para práticas e pontos de vista diferentes, ainda mais que foram tradicionais na Igreja durante 2000 anos.
Para sua tranqüilidade, eu digo: Apesar de ter idéias pastorais divergentes em alguns casos, eu NUNCA faço críticas em público, nem  interfiro  nos usos pastorais do Santuário e das Comunidades. Respeito e aceito a consciência dos outros, para ser coerente com meus próprios princípios de liberdade de consciência.
                            --------------------------------------------------------------
                            Pe. Rômulo Cândido de Souza C.SS.R.
                            Aparecida, 23 de Julho de 2002


O Pe. Rômulo obteve licença, pessoalmente, do Srº. Cardeal para a publicação, no dia 08/08/2002.